Comerciantes falam dos resultados da obra na Rua de Fernandes Tomás
12-03-2020

Quem passa pela Rua de Fernandes Tomás, no troço compreendido entre as ruas de Sá da Bandeira e do Bonjardim, depara-se agora com passeios mais largos, onde a calçada portuguesa ganha destaque.


Para Daniel Cunha, responsável de loja no estabelecimento comercial Cristo Rei, a rua está "com mais vida" e "mais bonita". Já Fernando Pato, sócio-gerente da Ourivesaria Joalharia Ourusado, acrescenta que agora "a calçada portuguesa reflete a luz do sol" e explica que a rua parece estar "mais brilhante do que quando era em cimento".


Esta foi uma das muitas intervenções levadas a cabo pela empresa municipal GO Porto, numa obra que teve por objetivo redefinir e dar um novo revestimento aos lugares de estacionamento e passeios, substituir integralmente o pavimento da faixa de rodagem, instalar novas infraestruturas de águas pluviais e residuais, abastecimento de águas e telecomunicações e, ainda, implementar uma nova sinalização vertical e horizontal.

A intervenção permitiu o alargamento dos passeios, beneficiando os peões com uma via mais larga de circulação e encurtando ao mesmo tempo a faixa de rodagem de forma a diminuir o congestionamento nesse troço. A criação de zonas específicas de estacionamento destinadas a cargas e descargas beneficiou ainda o comércio local, que dispõe agora de locais devidamente identificados para o efeito.


A obra, iniciada a 29 de janeiro de 2019, viu o seu prazo de conclusão alargado com uma intervenção que durou cerca de oito meses e, apesar de ter suscitado alguma apreensão por parte dos munícipes e comerciantes locais, numa fase inicial, parece ser agora de senso-comum que esta era uma rua que necessitava há muito de intervenções, uma vez que a última terá sido "há mais de 60 anos e esta foi muito mais eficaz e radical e tornou a rua mais agradável", defende Rui Carravilha, gerente da loja Marilu, uma das mais antigas da Rua de Fernandes Tomás.

Para Nuno Rocha, gerente da loja Casa Natal, o resultado final foi "sem dúvida positivo", permitindo um maior fluxo de pessoas graças ao alargamento dos passeios e criação de espaços verdes. "Foi uma mais-valia e trouxe mais movimento a esta rua", acrescenta ainda Daniel Cunha.

A intervenção, que compreendia inicialmente a "Empreitada de Reabilitação das Ruas de Guedes de Azevedo e Bonjardim", com um investimento municipal a rondar os 1,7 milhões de euros + IVA, acabou por acontecer primeiramente neste troço da Rua de Fernandes Tomás. No entanto, devido a dificuldades técnicas com a empreitada, a intervenção nas restantes ruas está suspensa e aguarda agora novo concurso para a finalização do projeto.