Ano letivo abriu na "nova" Escola Básica das Flores em Campanhã
17-09-2018

O presidente da Câmara do Porto abriu hoje oficialmente o ano letivo na Escola Básica das Flores, em Campanhã, cujas "condições maravilhosas" apontou como exemplo da atratibilidade que os estabelecimentos de ensino devem ter. Regressam hoje à escola 8 200 crianças que encontram uma melhor oferta de atividades de enriquecimento curricular nas escolas públicas do 1.º Ciclo do Ensino Básico e jardins de infância do concelho.


Cerca de 125 crianças entre os três e os 10 anos começaram hoje o ano letivo na Escola Básica das Flores, em Campanhã. O edifício escolar foi alvo de grandes obras de requalificação interior e exterior, num investimento municipal na ordem de um milhão de euros (960.000 euros), a que acresce a renovação do mobiliário escolar e fornecimento de novo material didático, no valor de 35 000 euros. Tem capacidade para 250 alunos entre jardim-de-infância e 1.º Ciclo. 


O primeiro dia de escola contou com a visita do presidente da Câmara do Porto, acompanhado pelo vereador da Educação, Fernando Paulo, e pela vereadora da Juventude e Desporto, Catarina Araújo, também Presidente do Conselho de Administração da GO Porto - Gestão e Obras do Porto, empresa municipal responsável pela intervenção. Juntos percorreram os diversos espaços da escola e entregaram kits com material escolar a uma turma de alunos do 1.º ano.


"Era importante vir ver e mostrar aquilo que se está a fazer numa escola que tem agora condições maravilhosas", disse Rui Moreira aos jornalistas, no final da visita.


Em relação à abertura do novo ano escolar, o presidente da Câmara do Porto explicou que está a ser feito um grande investimento ao nível das atividades extracurriculares, que foram alargadas aos alunos com necessidades especiais, mas que a base assenta nas condições oferecidas às crianças para estudarem, apesar de o número de alunos estar a diminuir, por motivos demográficos.


"As escolas têm que ser confortáveis para que as crianças gostem e sintam aquilo que é a construção da autoestima à volta da escola", referiu, acrescentando que a falta de crianças deve ser um incentivo à melhoria de condições e não o contrário.


"Sabemos hoje o difícil que é para uma família ter crianças, é um encargo muito grande e isso justifica em grande parte o facto de termos poucas crianças, mas não é por isso que devemos esmorecer, é ao contrário, isso é que nos deve provocar e motivar", disse Rui Moreira.


Ano letivo arrancou com 8 200 alunos


Cerca de 8 200 alunos vão frequentar o novo ano letivo 2018/2019 nas escolas da rede pública do concelho que estão sob a gestão da Câmara do Porto, nomeadamente estabelecimentos do 1.º Ciclo do Ensino Básico (6 500) e os jardins de infância (1 700 alunos).


No início do novo ano escolar, o vereador da Educação destacou a reorganização do modelo e da oferta de Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC), que constituem "um fator fundamental de igualdade de oportunidades e de inclusão social". 


Para o 1º Ciclo, o programa municipal Porto de Atividades contempla uma oferta variada, implementada pela autarquia de acordo com as opções de cada Agrupamento de Escolas: Atividade Física e Desportiva, Inglês, Ensino da Música, Expressão Plástica, Expressão Dramática, Dança e Ensino de TIC. No 4.º ano, a Atividade Física e Desportiva poderá incluir uma aula de natação a decorrer numa das piscinas da rede municipal, uma vez por semana durante todo o ano letivo, sendo oferecido a cada aluno um conjunto para natação e assegurados os transportes entre a respetiva escola e a piscina. A todos os alunos do 1.º e 2.º ano de escolaridade é proporcionada a atividade de Ioga, aos alunos do 3.º e 4.º ano Filosofia com Crianças.


Destaque para os alunos das unidades especializadas, onde foi criada uma oferta adaptada que inclui Música Adaptada (Musicoterapia), Atividade Física e Desportiva Adaptada, Hidroterapia ou Cinoterapia, sendo esta oferta desenvolvida de acordo com a opção individual de cada Agrupamento de Escolas.


Na educação pré-escolar, o caminho tem sido feito no sentido de garantir a "Escola a Tempo Inteiro", sem encargos financeiros para as famílias, com gratuitidade de pagamento das Atividades de Animação e de Apoio à Família, após o término da componente letiva e até às 17,30 horas, incluindo ainda o lanche escolar.


Das atividades novas, surge, este ano letivo, a opção de Expressão Físico-Motora a desenvolver-se durante todo o ano letivo, uma vez por semana e a juntar-se à expressão musical e ao judo, que este ano, também passou a abranger todos os jardins de infância, durante um trimestre.




6 300 refeições por dia


Diariamente são servidas, em média, nas cantinas escolares escolas básicas do 1.º Ciclo e dos jardins de infância 6 300 refeições por dia, sendo assegurada a refeição gratuita aos alunos do escalão A.


O serviço de lanche e o regime da fruta escolar manter-se-ão gratuitos para todos os alunos, com a previsão de um fornecimento diário de 8 000 lanches escolares.


Como medida de complemento à ação social escolar, a Câmara do do Porto oferece ainda, no arranque do ano letivo, um conjunto escolar aos cerca de 1700 alunos do 1.º ano, constituído por materiais didáticos e uma lancheira.


De salientar, ainda, que, no âmbito do programa Escola Solidária, as cantinas escolares funcionarão nas pausas letivas, nomeadamente do Natal e da Páscoa.


Rede pública municipal em números


Na educação pré-escolar do Porto vão funcionar 83 turmas curriculares, distribuídas pelos 43 estabelecimentos de ensino com a oferta da valência de jardim de infância destinada a crianças a partir dos 3 anos e até à integração no 1.º Ciclo.


Ao nível do 1.º Ciclo, estão em funcionamento 48 estabelecimentos de ensino, distribuídos por 15 agrupamentos de escola e pelo Conservatório de Música do Porto.


Os 48 estabelecimentos de ensino possuem biblioteca escolar, dos quais 38 integram a Rede de Bibliotecas Escolares do Ministério da Educação. A partir deste ano, todos os Agrupamentos de Escolas passaram a contar, também, com um apoio anual para atualização do fundo documental.