Obra de Alberto Carneiro integra o Mapa de Arte Pública a partir de sábado
08-05-2018

O Mapa de Arte Pública da cidade ganha uma nova obra a partir do próximo sábado, com a inauguração de "Três metáforas de árvores para uma árvore verdadeira", da autoria de Alberto Carneiro (1937-2017).


O último trabalho do escultor está já instalado e à vista de quem passa no Largo de São Domingos, em pleno Centro Histórico do Porto, no local para onde o artista concebeu expressamente esta obra.


Trata-se de um conjunto distribuído por dois canteiros e que é constituído por três árvores em granito (com alturas de 6, 7 e 8 metros), uma oliveira natural e relva. As peças graníticas apresentam-se com troncos esguios, nos quais se inscrevem as palavras "Vida" e "Arte", temas recorrentes em toda a obra de Alberto Carneiro. Sobrepõem-se as copas, alongadas e estilizadas, marcando a verticalidade do local.


"Três metáforas de árvores para uma árvore verdadeira" foi executada pela Cooperativa dos Pedreiros e concluída já depois da morte do artista, que foi também docente na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto e autor de uma vasta e aclamada obra que revisita formas e materiais da natureza.


O conjunto escultórico, cuja implantação foi realizada pela Empresa Municipal de Gestão e Obras do Porto (GO Porto), vem constituir-se como fator de valorização do Largo de São Domingos e envolvente. Vem também integrar a Rota Contemporânea do Mapa de Arte Pública da cidade do Porto.


A inauguração da derradeira obra de Alberto Carneiro está marcada para as 17 horas de sábado, com a participação da viúva do artista, a historiadora Catarina Rosendo. Será seguida, pelas 18 horas, de uma sessão do ciclo municipal Um Objeto e seus Discursos por Semana que, desta vez, é precisamente dedicado a compreender a "Três metáforas de árvores para uma árvore verdadeira".